final capixabão 2017

Confira como foi o primeiro jogo da final do Capixabão 2017

Em jogo eletrizante, Doze e Atlético/ES empatam por 2 a 2 no Kléber Andrade, pelo jogo de ida da final do Campeonato Capixaba. Marcone e Balbino abriram o marcador para o Doze; Marcone, contra, e Wendel empataram para o Atlético/ES.

Diferentemente da semifinal, o Doze precisava propor o jogo, pois a vantagem de dois resultados iguais era do Atlético/ES. A equipe de Marataízes não pôde contar com o seu artilheiro Nilo, que continua lesionado. Portanto, o Dozão veio com a mesma equipe que se classificou diante do Espírito Santo, porém com uma postura mais agressiva, em busca do gol.

O trio de meio-campistas formado por Vitor, Marcone e Balbino comandava o meio de campo. Os jogadores retinham a bola, explorando as descidas do lateral direito Cássio e a velocidade do atacante Chiquinho.

O Atlético/ES encontrou muitas dificuldades no início do jogo. O setor de criação não conseguia trabalhar a bola e o quarteto ofensivo formado por Zizu, Wendel, Weliton e Rodolfo não estava conseguindo dar prosseguimento nas jogadas, mesmo havendo muito movimentação entre os atletas.

A primeira boa chance foi criada pelo Doze. Marcone recebeu passe na entrada da área e arriscou o chute, obrigando Ranule a fazer ótima intervenção.

O tempo foi passando e o Doze continuou sendo melhor na partida. Outra boa chance do Dozão foi aos 43 minutos, com Maycon. O atacante recebeu em profundidade e finalizou cruzado, mas a bola desviou e foi para fora.

Rodolfo, no intervalo deu uma tônica do que foi a primeira etapa. “Eles (Doze) tiveram as melhores chances, finalizaram mais do que a gente, mas nós temos que voltar para o segundo tempo melhores e finalizar mais”.

Porém, não foi isso que aconteceu no início. Na volta do intervalo o Doze manteve-se melhor na partida. Logo aos nove minutos, Chiquinho cobrou falta na cabeça do zagueiro Léo Breno, que testou no travessão.

Com o passar dos minutos, o Atlético/ES foi aos poucos equilibrando a partida. A primeira boa chegada do Galo da Vila foi aos 18 minutos da segunda etapa. Miguel Angelo puxou rápido contra-ataque pela esquerda e rolou para Wendel no meio, o atacante finalizou com muito perigo.

No momento em que o Atlético/ES passou a ser superior na partida, veio o castigo. Marcone recebeu lançamento dentro da área e bateu cruzado para vencer Ranule e abrir o marcador.

O gol deu ânimo para o Doze, que continuou em cima, em busca do segundo gol, que lhe traria uma ótima vantagem para o segundo jogo.

A persistência deu resultado. Em contra-ataque puxado por Chiquinho, o camisa 11 encontrou Balbino na entrada da área, que apenas tirou do goleiro adversário. 2 a 0 para o Doze.

Após o gol, o Doze passou a administrar a vantagem. Se o resultado se mantivesse, a equipe poderia até perder por um gol de diferença no próximo sábado que seria campeã.

O Atlético/ES foi para o abafa final, a fim de diminuir a vantagem adversária. Aos 44 minutos, em falta lateral alçada na área, Marcone desviou contra a própria meta. Gol do Atlético/ES.

Quando todos achavam que a partida terminaria com a vitória do Doze por 2 a 1, Luan Macaé, que tinha entrado minutos antes, foi derrubado na área. Wendel, artilheiro do time, bateu e marcou o seu quinto gol na competição, o segundo contra o Doze. Tudo igual no Kléber Andrade.

“Nós fizemos um bom jogo, tivemos boa posse de bola e conseguimos fazer os dois gols, mas houve desatenção. Nós sabemos que a final não são apenas 90 minutos, e sim 180. Ainda há o jogo de sábado para decidirmos”, analisou Vitor, capitão da equipe do Doze.

Pelo lado do Atlético/ES, o sabor de vitória pelo empate conseguido no fim era nítido. “Em nenhum momento nós deixamos de acreditar que nós podíamos empatar. Graças a Deus nós empatamos no finzinho e levaremos uma vantagem para o Sumaré, no próximo sábado”, destacou Zizu, um dos destaques do Atlético/ES no campeonato.

A partida de volta será sábado (06), no Sumaré, em Cachoeiro de Itapemirim. O Atlético/ES, por ter feito a melhor campanha, joga pelo empate. Quem vencer sagra-se campeão.

Doze: Robson Bahia; Cássio, Joaquim, Léo Breno e Paulo Vitor; Vitor, Marcone e Balbino; Deivid, Chiquinho e Maycon (Jean). Técnico: Charles Lehrback.

Atlético/ES: Ranule; Paulinho, Rhayne, Kléber Viana e Luan Paraná; Araruama, Ferraz (Miguel Angelo) e Zizu; Wendel, Weliton (Kaio) e Rodolfo (Luan Macaé). Técnico: Zé Humberto.

Créditos da matéria: José Renato Siqueira Campos / NUDE Coletivo

Deixe seu comentário